Daniela Mercury comemora 25 anos de ‘Canto da Cidade’ e celebra sucesso da música ‘Banzeiro’: ‘Veio na hora certa’ | Carnaval 2018 na Bahia

Daniela Mercury fala sobre preparativos para o carnaval 2108

A cantora Daniela Mercury reuniu jornalistas de Salvador na tarde desta quarta-feira (1º), para falar sobre o carnaval 2018. No ‘Carnaval do Banzeiro’ como ela definiu – em alusão à atual música de trabalho, vão ser misturados grafite, artes cênicas e dança, além de música. Na ocasião, a artista participou de um flashmob, na praça de alimentação do Shopping da Bahia, e agitou o público ao som da música “Banzeiro” [assista ao vídeo acima].

“Banzeiro é mistura de águas, quando os rios nascem. E carnaval é exatamente fusão de ritmos, de culturas, de gente. A própria canção é uma marchinha, mas tem um pouco de frevo, galope, e por isso é a cara da folia”.

A letra da paraense Dona Onete, autora da canção, conquistou a ‘rainha do axé’ há dois anos, mas foi lançada pela baiana no ano passado e é uma das mais cotadas para ser a música do carnaval de Salvador deste ano. “Na época, o fato de eu não saber o que significava banzeiro me deixou ainda mais curiosa, me chamou atenção. Pensei que dava a liberdade de cada um interpretar como quer, dá para cada um fazer a sua brincadeira”.

No ano em que celebra os 25 anos do disco e da música ‘Canto da Cidade’, Daniela está radiante com o sucesso de ‘Banzeiro’.

“Minha mãe de santo me diz que não existe acaso. Essa música veio para a minha vida na hora certa, para fazer história na minha carreira e no axé. Ela é pura diversão, é o que estamos precisando neste momento tenso que vivemos”.

A artista acrescenta que uma perfumaria criou uma fragrância exclusiva inspirada na canção. O perfume vai ser dispersado no trio elétrico de três andares da cantora, chamado de Triato, durante a festa.

Na quinta-feira (8) de carnaval, quando vai puxar o folião pipoca no circuito Barra-Ondina, Daniela vai ter como convidados bailarinos da escola Ebateca e atores da Cia. Baiana de Patifaria, que participaram da gravação do videoclipe de “Banzeiro”. Além disso, vai comemorar os 20 anos de ‘Pipoca da Rainha’.

“O Triato vai virar uma caixinha de música e vamos fazer uma festa no palácio, inspirada nos carnavais à moda antiga”.

No sábado (10), ela se apresenta no carnaval de Barreiras, no oeste baiano, e pela primeira vez sai de Salvador no período carnavalesco. No domingo (11), volta à capital baiana para puxar o bloco Crocodilo, que desfila no circuito Barra-Ondina. Neste dia, sobem ao no trio as drag queens Melanie, Yanna, Izabella, as gêmeas alemãs Isabella e Raphaella Kaever, além de bailarinos afro modernos.

Na segunda-feira (12), novamente no Crocodilo, os convidados são os bailarinos do Balé Folclórico da Bahia, que estarão representando orixás tecnológicos, e o grafiteiro Marcos Costa, conhecido como ‘Cabuloso’, que vai pintá-los em cima do trio. A própria artista estará com o corpo grafitado e deu uma demonstração da arte urbana na coletiva desta quinta, com roupas, cabelo e pele completamente coloridos. O trio elétrico também terá a arte de Marcos.

Na terça-feira (12), ela volta a puxar trio sem cordas, desta vez no Campo Grande, e vai promover uma ‘eleição’: é o Samba para Presidente, que será representado também pelos atores da Cia. Baiana de Patifaria. A ideia é escolher um samba para assumir a presidência da república, em referência à música dela, intitulada ‘Samba Presidente’.

“Vai ser uma bagunça, assim como está o nosso país. Eu não poderia deixar de me posicionar em um momento como esse, mas tudo vai ser muto leve, com alegria e bom humor. A arte também tem o papel de provocar”.

A cantora Amanda Santiago é outra convidada de Daniela neste dia. O carnaval dela se encerra no dia 18 de fevereiro, sábado após o carnaval, quando puxa trio sem cordas em São Paulo.

A artista garante que se envolve em todas as etapas de preparação para o carnaval. “As ideias e os conceitos são meus. Isso já faz parte do meu trabalho, que é conceitual. Eu faço coreografias, componho, faço arranjos. Claro que conto com colaborações, parceiros e juntos conseguimos originalidade”, pontua.

Nesta época do ano, Daniela enfatiza que mal dorme e fica “mais agitada do que já é”.

“Lá em casa não se fala em outra coisa. Malu, minha esposa e empresária, trabalha comigo e as nossas filhas nos acompanham. São horas de ensaio e tecido para todo lado”.

A cantora prometeu um figurino colorido, brilhante e sensual para as apresentações carnavalescas, preparados pelo estilista Eduardo Suppes. Daniela afirma que a escolha das roupas é uma das partes mais importantes da preparação, pois elas também compõem as performances.

Para ela, independentemente do tema ou da ocasião, seja no trio ou no palco, roupas têm que ser leves, de tecidos maleáveis, para que ela possa se movimentar e dançar à vontade. “Procuro aliar conforto e estilo, sem deixar de lado a fantasia, o brilho, essa coisa bonita do carnaval”, detalha.

Aos 52 anos, Daniela se considera “de bem com a vida como nunca”, e isso se deve à boa fase profissional e pessoal.

“A gente reflete aquilo que a gente é por dentro. Estou olhando a vida de outro lugar. Quando fiz 30, achei que tinha virado adulta. Com 40, me achei madura. Agora vejo que estou no auge da maturidade e estou gostando disso. Eu estou feliz com o que sou hoje, com a minha trajetória, com o que construí, e isso reflete também no espelho”.

Para ela, a beleza na maturidade é “diferente”. “Esse mundo estava pasteurizado demais. Todo mundo magro, cabelo liso, louro… Muito chato. Agora estão voltando a valorizar a individulidade e a singularidade, mas sempre vivi isso a vida inteira. A gente está com um feminismo doido hoje, mas a minha geração já estava ciente de que tinha que tomar lugar na sociedade, confrontar o machismo, se posicionar e se amar”.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.

Siga e curta-nos!