Jornal Nacional – Violência mata 14º policial no ano e fecha via expressa no Rio

 

O Rio de Janeiro teve nesta quarta-feira (31) o 14º policial assassinado em 2018. E uma das principais vias expressas da cidade ficou fechada durante um confronto de traficantes com a polícia.

Não há como evitar, no caminho para casa ou para o trabalho, o motorista é surpreendido por mais um dia de guerra na cidade. A Linha Amarela, a segunda via expressa mais importante do Rio, parada, imobilizada pelo medo.

“Todo mundo aqui parado, a bala tá comendo aqui hein, não passa ninguém, não anda ninguém, geral aqui no chão parado’, diz um motorista na gravação do celular.

A mureta é refúgio para as famílias; o carro, escudo onde a mãe tenta proteger os filhos dos tiros. Os passageiros do ônibus entram em desespero.

“Não dá pra dar ré, motorista?”

Escapar pela contramão ou abandonar tudo? Os policiais chegaram a usar os carros deixados para trás como barricada.

A polícia trocou tiros durante toda a manhã com traficantes da Cidade de Deus, que fica perto da via, na Zona Oeste da cidade. Três suspeitos morreram.

Bandidos metralharam a cabine da PM na entrada da comunidade. Também botaram fogo em pneus no meio da via e lançaram morteiros em represália à ação policial, o que levou mais pânico a quem passava por ali.

Tudo isso aconteceu nesta quarta, mas enquanto a população enfrentava mais um dia dessa violência tão presente, autoridades discutam o futuro da segurança pública no Rio.

Na conferência, o principal assunto era como melhorar o policiamento do amanhã, mas o secretário de Segurança do Rio ainda não tem uma resposta para o que o estado enfrenta hoje.

“Lamentável, mas uma vez ver que uma via é fechada em razão da violência, mas isso aconteceu em razão de a polícia estar ali trabalhando e tentando evitar que delitos aconteçam contra a nossa sociedade”, disse Roberto Sá. 

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que as Forças Armadas vão fazer o patrulhamento no ar e no mar para tentar impedir a chegada de drogas e armas no estado.

“Esse sistema está falido e o que nós estamos vivendo hoje é o efeito não apenas da falência desse sistema, do desenho do sistema, mas outros motivos mais”, disse.

Desde o começo de 2018, 14 policiais morreram por causa da violência no estado. O último morreu nesta quarta-feira. Ele reagiu a um assalto dentro de um supermercado e trocou tiros com um dos bandidos

O assaltante foi preso no estacionamento.

Na mesma hora, uma família se despedia de mais um policial militar assassinado na terça-feira (30).

“Estão vulneráveis, não sei até onde vai esse problema com a polícia”, lamentou Teresinha Batista, amiga da família.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.

Siga e curta-nos!