U2 vence processo de plágio por faixa do disco ‘Achtung Baby’

Paul Rose buscava ao menos 5 milhões de dólares em indenização da banda irlandesa

agência Reuters



31 jan 2018, 12h18

Uma juíza dos Estados Unidos rejeitou nesta terça-feira um processo que acusa a banda de rock U2 de plágio da obra de um compositor britânico para uma canção do disco Achtung Baby, álbum de sucesso lançado pelo grupo irlandês em 1991.

A juíza distrital dos Estados Unidos Denise Cote, com sede em Manhattan, rejeitou a acusação de Paul Rose de que o U2 copiou um riff de guitarra de 13 segundos do começo da música instrumental Nae Slappin, criada em 1989 por Rose, para compor um segmento de 12 segundos com um solo de guitarra em The Fly.

Rose, que mora em Nova York, sustenta que o U2 copiou sua música “praticamente nota por nota” e também que usou as mesmas linha de baixo, bateria e percussão sem permissão. Ele diz ter entregue ao selo Island Records, do U2, uma fita demo de Nae Slappin, que seria a fonte para o plágio.

Mas a juíza disse que o riff não é uma porção “suficientemente substancial” de Nae Slappin, uma composição de 3 minutos e meio que “demonstra as incríveis habilidades de guitarra do demandante”, para ser um “fragmento” protegido da obra. Denise Cote também disse que, mesmo se o riff fosse protegido, um júri razoável não concluiria que o U2 o copiou.

Paul Rose buscava ao menos 5 milhões de dólares em indenização do cantor do U2, Bono, dos companheiros de banda The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr., e da UMG Recordings Inc, uma unidade da Vivendi SA que lança discos sob o selo Island Records, do U2.

Um advogado do músico não respondeu imediatamente a um pedido de comentários. Advogados dos réus não responderam imediatamente a pedidos similares.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.

Siga e curta-nos!